Indianos contra a Coca-Cola

No Coke, Thanks
Coca Cola? Não. Obrigado. Prefiro chá verde!

Da privatização (roubo) das águas ao imperialismo dos refrigerantes

“O Fascismo deveria ser chamado, com mais propriedade, Corporativismo, uma vez que é uma fusão do Estado com o poder das corporações”. — Benito Mussolini

A Coca-Cola e Pepsi são culpadas de causar severas faltas de água em comunidades por toda a Índia; poluir a água subterrânea e o solo nos arredores das suas unidades de enchimento; espalhar o lixo tóxico resultante dos processos de lavagem de vasilhame por vastas zonas agrícolas indianas pobres; vender refrigerantes misturados com elevados níveis de pesticidas — em alguns casos, superando 30 vezes os padrões aceites na União Europeia.
Pode argumentar-se, para dourar a pílula (como o fez o World Watch Institute), que o problema da água, seja o da sua falta dramática, seja o da sua má qualidade, ou seja o da contaminação induzida pelas enormes quantidades de adubos, fungicidas e pesticidas artificiais usados na produção de alimentos, é muito mais vasto e grave que o dos níveis de contaminantes contidos na Coca Cola e na Pepsi produzidas na India. Mas a verdade, porém, é que foram detectados (já em 2003) elevados níveis de chumbo, cadmiun e crómio nestes refrigerantes, sabendo-se ainda que as práticas abusivas destas empresas na apropriação dos recursos aquíferos nos países em desenvolvimento começa a tornar-se mais um problema mundial directamente ligado ao expansionismo americano. Bush interveio junto das autoridades indianas para impedir o alastramento do que ameaça ser um movimento nacional contra a presença daquelas multinacionais na India. Se falhar, podemos imaginar as tremendas ondas de choque que uma tal eventualidade poderá gerar no resto do mundo, a começar por alguns países muçulmanos, ou pela Colômbia, onde 8 sindicalistas foram assassinados por milícias privadas a soldo da Panamco, principal distribuidora da Coca Cola na América Latina. Motivo destes crimes: a denúncia das condições de exploração praticados nas unidades de enchimento do refrigerante.
Não é difícil prever as dificuldades que os oligopólios dos refrigerantes irão ter num futuro cada vez mais ameaçado pela descida constante das tabelas de água em todo o mundo.
Por mim, dispenso a Coca Cola e a Pepsi. Prefiro o chá verde dos Açores (o da Gorreana), o guaraná e as infusões geladas de hibisco. Além do mais, fique sabendo que o excesso de consumo de Coca-Cola foi a causa comprovada do aparecimento de osteoporose precoce em pré-adolescentes alemães! [Água versus Coca-Cola]



Referências
Suspected Soft Drink Contamination Raises Broader Questions About Food Safety in India. By Biko Nagara – August 30, 2006 — in World Watch Institute.
The Opposition to Coca Cola and Water Privatization. Activists in Medhiganj, India Rise Up. By Gina Drew e Mike Levien — in Z Net.
Coca Cola: Destruindo Vidas, Meios de Sobrevivência e Comunidades. Impossível Pensar. Impossível Beber! — in India Resource Center. Building Global Links for Justice.
Communities Reject Coca-Cola in India. by Amit Srivastava, India Resource Center. July 10th, 2003 — in Corp Watch.
Killer Coke
The Zero Coke Movement

OAM #139 31 AGO 2006

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s