Carla Bruni

Michel Comte, “Carla Bruni”, 1993. Esta fotografia da actual primeira dama
francesa foi vendida ontem, 10 de Abril, num leilão da Christie’s em Nova Iorque por
91 mil dólares.

A rainha da França vai nua, e o reizinho também!

Olhando para imagem artística da modelo Carla Bruni não podemos deixar de pensar na magreza que actualmente aflige a economia francesa. Apesar do carácter histriónico do garnisé Sarkozy e das suas desconstrutivistas iniciativas estratégicas, que têm vindo a pôr os cabelos em pé dos principais tanques cognitivos franceses (ler nomeadamente o Laboratoire Européen d’Anticipation Politique LEAP/Europe 2020), a verdade é que a importância efectiva da França está a ser literalmente devorada pela sua dívida pública, e por conseguinte, a recente e catastrófica aproximação da França aos crápulas da Casa Branca e ao poodle inglês que dá pelo nome de Tony Blair, nada mais fazem do que levar-nos a esperar o pior. E o pior, segundo Franck Biancheri (colega de Pierre Gonod), cujo grupo de análise prospectiva, Global Europe Anticipation Bulletin, previu em Fevereiro de 2006 o colapso sistémico do Capitalismo, de facto em curso desde que rebentou a bolha do Subprime imobiliário, é a grave crise social que se aproxima e atingirá muito provavelmente o regime gaulês durante a próxima presidência europeia, entre Junho e o fim deste ano.

Nunca a V República francesa viu um seu presidente cair nas sondagens tão cedo e tão fundo como vem sucedendo com o mediático Sarkozy, sempre apimentado pelo fulgurante íman erótico que arrasta pela mão: a ex-modelo italiana Carla Bruni. O cocktail é explosivo. Por um lado, o garnisé meio-francês que comanda os destinos da França, anda perdido de amores pelos sionistas de Israel, pelos falcões de Washington e pelos cadáveres da monarquia inglesa, ameaçando de caminho o Irão e a China — imagine-se! Depois, para disfarçar os grandes fiascos da banca francesa e a chaga do endividamento, nomeadamente da sua pesada e ineficiente burocracia, deixa-se cair na alcova da imprensa cor-de-rosa, procurando assim distrair-nos, e sobretudo distrair os franceses, das suas pesadas responsabilidades nacionais, europeias e internacionais.

A crise que incendiará de novo as principais cidades francesas será sobretudo uma crise do bloqueamento institucional do país, isto é, uma crise de regime, que no caso português deriva principalmente do bloqueamento do nosso sistema partidário, e em França decorre da impossibilidade de apear um presidente recém eleito, mas que perdeu, não apenas a confiança dos seus eleitores, não apenas o respeito institucional que os franceses naturalmente depositam num presidente democraticamente escolhido, mas sobretudo das forças político-partidárias que o colocaram onde está. Estas últimas, de facto, enganaram-se, e não sabem o que fazer! Daí o perigo iminente que espreita o futuro imediato de um dos pilares fundamentais da União Europeia. A imagem de Carla Bruni agora leiloada foi produzida na década de 90, num período em que a anorexia se tornara uma moda humilhante das sociedades afluentes. Trazê-la de novo à ribalta mediática, não pode deixar de ser interpretado como um verdadeiro exercício de humor negro!

Carla Bruni (página pessoal)

OAM 343 11-04-2008, 13:30

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s