Contabilidade criativa

Contas “erradas” escondem recessão americana

O antigo estratego eleitoral de Richard Nixon, Kevin Phillips, hoje um opositor declarado do Partido Republicano, publicou no prestigiado Harper’s Magazine um demolidor artigo sobre a fraca fiabilidade das estatísticas norte-americanas. Segundo ele, os números oficiais são o resultado de uma descarada manipulação dos critérios de medição e cálculo. Assim, a inflação real em 2007 anda mais perto dos 7-10% do que dos 5% declarados. O PIB efectivo de 2007 ronda os 7,1E12 USD, em vez de 11E12 USD. E a taxa de desemprego oscilou em 2007 entre 9 e 12%, bem acima dos números oficiais.

O contraste entre a percepção pública da recessão e a grave crise financeira que há um ano varre os Estados Unidos e fustiga a Europa, não podia ser mais evidente. Mas a ladainha dos média, que repetem ad nauseam a cabalística confeccionada pela Casa Branca e pela Reserva Federal (o cartel bancário privado da América, erradamente confundido com um banco central), deixa-nos confusos. Pois bem, vale a pena ler este esclarecedor artigo sobre o tema.

Alguém em Portugal teve já a paciência de analisar a metodologia das nossas estatísticas, em grande medida formatada a partir de Bruxelas? Será que são tão criativas como as americanas? Afinal que raio de produtos entram na avaliação da inflação europeia e portuguesa? Como são contados os desempregados que não se apresentam nos Centros de Emprego? Onde estão os números da emigração? Será que um emigrante português no Reino Unido figura como emigrante, ou como simples cidadão europeu, activo em Portugal?! Que números são compilados para a determinação do PIB real?


Hard numbers: The economy is worse than you know
By Kevin Phillips, Harper’s Magazine
In print: Sunday, April 27, 2008, in Tampabay.com

Ever since the 1960s, Washington has gulled its citizens and creditors by debasing official statistics, the vital instruments with which the vigor and muscle of the American economy are measured.

The effect has been to create a false sense of economic achievement and rectitude, allowing us to maintain artificially low interest rates, massive government borrowing, and a dangerous reliance on mortgage and financial debt even as real economic growth has been slower than claimed.

The corruption has tainted the very measures that most shape public perception of the economy:

  • The monthly Consumer Price Index (CPI), which serves as the chief bellwether of inflation;
  • The quarterly Gross Domestic Product (GDP), which tracks the U.S. economy’s overall growth;
  • The monthly unemployment figure, which for the general public is perhaps the most vivid indicator of economic health or infirmity.

OAM 411 08-08-2008 18:55

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s