Portugal 123

Voto inteligente

O “voto de protesto” é uma invenção jornalística imbecil do Pacheco Pereira e quejandos.
O voto útil, nas próximas eleições, é um voto no Bloco, no PP, ou no… PSD!
Votar no Pinóquio das Beiras é um acto irreflectido e completamente inútil.

Quem viu e ouviu o debate entre Manuela Ferreira Leite e Francisco Louçã, não pode deixar de concordar com o facto de a futura primeira ministra portuguesa ter vencido aquele diálogo histórico por um claro 4-1.

A Doutora Manuela foi melhor do que o Professor Louçã(1) na abordagem dos temas da saúde, das nacionalizações, da criação de emprego e (pasme-se!) da vida privada. Louçã só marcou pontos ao mostrar a vertente lamentável do PSD sempre que se corrompe no atoleiro do Bloco Central.

Fiquei verdadeiramente surpreendido com a sobriedade, acutilância e subtileza argumentativa da ex-ministra das Finanças do governo Durão Barroso. Ao contrário do que poderíamos esperar, Manuela Ferreira Leite não tratou Francisco Louçã com um improvável radical saído das catacumbas do Maio de 68. Não, tratou-o como possível futuro governante de Portugal. E foi esta subtileza e presciência política que deixou Francisco Louçã completamente desarmado e balbuciante. A tal ponto ficou sem fala, que se viu obrigado a fazer um comício à saída do debate. Não precisava. A dama do PSD, com extrema elegância, conferiu-lhe o status de potencial sucessor de Sócrates! Que mais quer para começar a pensar com pragmatismo, sem por isso perder nenhuma das essências socialistas que valem a pena?

Ou muito me engano, ou o que já escrevi antes e sobre as eleições europeias, vai confirmar-se: uma pesadíssima derrota do PS (que poderá vir a ter a mesma sorte do PSI de Bettino Craxi), a vitória do PSD de Manuela Ferreira Leite (que tratará rapidamente de pôr na ordem a actual manta de retalho que é o PSD) e a ciclónica transformação do Bloco de Esquerda no sucessor do esfrangalhado PS, ou seja, um partido que em breve será chamado a governar.

A crise está nas nossas mãos, i.e. na nossa vontade de eleitores. Votar contra José Sócrates é o único voto útil possível e com sentido para salvar o país da ruína, da propaganda indecorosa, da corrupção contínua, da censura pós-moderna e da vergonha cultural.

Quanto às palavras sibilinas do senhor Jaime Gama, o seguinte:

O PS não é nem dos seus barões, nem dos seus “baronetes”, nem das suas cortesãs, nem sobretudo da máfia que o tomou de assalto. É de quem nele vota, muito antes e muito depois de quem nele vegeta ou dele se aproveita.

Para corrigir a entorse fatal do Partido Socialista, não são precisos cálculos de aparelho. Basta, desta vez, votar no Bloco de Esquerda, ou no PSD…

NOTAS

  1. Manuela Ferreira Leite e Francisco Louçã são mesmo economistas (a primeira, licenciada, investigadora e professora assistente, e o segundo, emérito professor universitário), ao contrário, e nunca é demais sublinhá-lo, do engenhocas de aviário que em má hora deixámos subir até São Bento.


OAM 620 07-09-2009 17:29

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s