Energia Verde 2

Bolha solar rebenta em Espanha

Spain’s Solar-Power Collapse Dims Subsidy Model

By ANGEL GONZALEZ and KEITH JOHNSON (WST)

Spain’s hopes of becoming a world leader in solar power have collapsed since the Spanish government slammed the brakes on generous subsidies.

The sudden change has rippled across the global solar industry, in a warning of the problems that government-supported renewable-energy programs can encounter.

Valerá a pena insistir em projectos de microgeração subsidiada?

Não é possível rentabilizar um investimento em microgeração fotovoltaica ligada à rede em menos de 6 anos. Ora seis anos, no actual quadro de desorganização mundial da economia e sobretudo do sistema financeiro, é muito tempo! Os benefícios governamentais e fiscais estão por um fio. A recessão global e o imparável deslizamento do dólar americano fazem cair os preços reais do petróleo. O crescimento previsto dos consumos energético está posto em causa. O excessivo endividamento dos grandes fornecedores de energia eléctrica, seja na especulação bolsista, nas operações de crescimento por aquisição e fusão de empresas, ou nos investimentos colossais nas energias eólica e fotovoltaica, anuncia uma inflação dos preços da energia junto dos consumidores a curto e médio prazo. Como disse, com grande frieza, o presidente da Iberdrola, Ignacio Sánchez Galán, “a energia solar era um produto financeiro, não uma solução energética”. Numa palavra, o boom fotovoltaico acabou! — CS.

Comentário: por algum motivo Ricardo Salgado anda muito palavroso. Em suma, mais um fracasso redondo das engenharias financeiras e tecnológicas do senhor Sócrates e do ido e inenarrável Pinho. Como aqui temos vindo a repetir sem descanso, não há solução para a crise energética em perspectiva, mas tão só planos de contingência, programas de mitigação, e sobretudo uma nova atitude perante os recursos limitados da Terra, todos a começar pelos princípios que urge adoptar: eficiência energética, fim do consumismo e da especulação financeira, substituição do actual modelo de avaliação do progresso e da felicidade humana. O crescimento permanente acabou! — OAM.

OAM 622 19-09-2009 17:14

2 responses to “Energia Verde 2

  1. «urge adoptar: eficiência energética, fim do consumismo e da especulação financeira, substituição do actual modelo de avaliação do progresso e da felicidade humana. O crescimento permanente acabou!»

    Não, o crescimento não acabou. Mudou de paradigma.

  2. O PIB tem sido a medida universal do crescimento, até que descobrimos que o crescimento do PIB pode ser uma receita para o desastre, provocado nomeadamente pelo endividamento compulsivo e pela exaustão dos recursos transformáveis e/ou consumíveis. Por exemplo, o medíocre crescimento proporcionado pelo governo “socialista” de Sócrates, foi conseguido à custa de um endividamento suplementar junto da banca estrangeira no valor de 30 mil milhões de euros! É a este “crescimento” k me refiro, naturalmente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s